Cozinha Funcional Santa Cruz Acabamentos Gabriela Azeredo e Patrícia Pires

Cozinha Funcional Santa Cruz Acabamentos Gabriela Azeredo e Patrícia Pires

Mostras




COZINHA DE ESTAR

Não é uma cozinha com cara de cozinha, embora ela esteja preparada para funcionar a pleno vapor.

Projetada para que renomados chefs possam, aqui, ensinar alguns de seus segredos gastronômicos, essa inusitada cozinha baseia-se no conceito slow house e tem aquilo que muita gente já sonhou em ter em casa: um sofá.

Não é um sofá qualquer, e sim, dois, daqueles bem, bem confortáveis, com 1,15m de profundidade, onde é possível se afundar entre as almofadas, ora petiscando uma nova receita, ora prestando a atenção na aula do chef convidado.

Nessa mesma pegada de conforto, a poltrona Tributo, de Olavo Machado, da Neo Box, fornecida pela São Romão.

Detalhe: entre os sofás há uma mesa com tampo em porcelanato cinza que lembra o mármore e, próximas, estão dispostas mesinhas de apoio com tampo redondo.



O lado “cozinha” desse espaço tem bancada em porcelanato (para que os chefs se esbaldem), rodeada de banquinhos transparentes Kartel, da Tom sobre Tom. Em linha, encostada à bancada, uma mesa em madeira, de oito lugares, com cadeiras Aristeu Pires reforçam a proposta slow house do ambiente, que conta com um bem posicionado sistema de som e TV, da Live, que pode ser visto por todos os ângulos.

O revestimento Pétrea, que assemelha-se à pedra bruta, presente em uma das paredes e nos pilares, aquece o espaço na dose exata e está sintonizado com o revestimento das outras paredes, em porcelanato com aparência de tijolo escuro, em total identidade com o casarão.

No alto, de fora a fora, uma prateleira com fundo preto abriga vários objetos, plantas e livros e foi pensada como proposta zero luxo e, ao mesmo tempo, como elemento supercharmoso e despretensioso.

A iluminação, assinada pela light designer Ana Paula Lucchesi, foi feita em trilhos pretos nas vigas e, nos três pilares, tem arandelas com estrutura aparente e foco pontual. A ideia de espaço despojado reforçou a opção de deixar o teto aparente, as janelas em sua cor natural e o piso original, em madeira. A única ressalva, nesse sentido, é o tablado, estrategicamente colocado para destacar o chef em sua função.

Todos os acabamentos e iluminação são da Santa Cruz Acabamentos.

Texto : Lenora Rohlfs

Fotos : Jomar Bragança, Márcia Moreira e Leca Novo


Post Seu Comentário